10
Mar

Essere Group define planos para faturar R$ 1 bi

O Essere Group, uma holding criada para gerir as empresas de insumos agrícolas Kimberlit Agrociências, Bionat, Floema e Loyder, já traçou os planos para chegar à marca de R$ 1 bilhão em faturamento, dentro de cinco anos. Sediada em São José do Rio Preto (SP), o Essere faturou R$ 171 milhões em 2020. Com receita de R$ 130 milhões, a Kimberlit Agrociências respondeu por 75% do total em 2020. Mas, dentro de cinco anos, a Loyder deve passar a ser o carro-chefe, respondendo por 47% do faturamento - ou R$ 470 milhões do bilhão projetado, diz Renato Peixoto, diretor financeiro e administrativo da holding. Fundada em 1989 e administrada desde 1994 pelo empresário Antonio Carlos de Gissi Júnior, a Kimberlit fabrica fertilizantes foliares e tratamentos de sementes. Já a Loyder, fundada em 2007, atua no ramo dos fertilizantes NPK (nitrogenados, fosfatados e potássicos) acrescidos de aditivos, que visam a reduzir perdas de nutrientes por volatilização e lixiviação. O plano é, até 2030, multiplicar por dez a capacidade de produção dos adubos da Loyder, que passará de 50 mil a 500 mil toneladas, e aumentar seu número de misturadoras de uma para dez. Com isso, a empresa passará a ter presença física em outros Estados além de São Paulo.

O mercado de fertilizantes no Brasil deve chegar a 40 milhões de toneladas nos próximos anos. Com 500 mil toneladas, teremos apenas 1,2% dele. Há muito espaço para crescer, afirma Peixoto.

Os investimentos totais na Loyder estão orçados em R$ 300 milhões. Para este ano, um aporte de R$ 30 milhões já foi aprovado para uma unidade em Olímpia (SP). A expectativa é que ela esteja produzindo 60 toneladas de adubos por hora até o ano que vem.

A Loyder nasceu para atender outras empresas de fertilizantes especiais, e hoje fornecemos também para o produtor rural, diz o executivo.

A meta é manter o espaço conquistado no Sudeste, Triângulo Mineiro e na região Sul e avançar sobre o Centro-Oeste (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) e Mapito (Maranhão, Piauí e Tocantins). A companhia tem mais de 500 clientes, entre revendas e produtores rurais (os principais), misturadoras, cooperativas, usinas e agroindústrias.

As operações do Essere serão controladas a partir de um centro de serviços compartilhados em São José do Rio Preto, no qual foram investidos R$ 3 milhões.

Os planos para a Bionat Agro, de defensivos microbiológicos, são triplicar a receita ainda em 2021, para R$ 40 milhões, e inaugurar uma nova unidade no segundo semestre.

Para a Floema, de logística, a meta é ampliar a frota de caminhões - usados no transporte de matériasprimas, insumos e produtos - para atender terceiros. A frota tem hoje 12 caminhões.

Bionat é a 1ª empresa do segmento genuinamente nacional a conquistar o selo ISO 14001.

Saiba Mais